Na Austrália, os papéis dos pais baseado em gênero estão evoluindo – e o pai tradicional, disciplinador está se tornando uma coisa do passado. Os pais australianos são participativos, presentes, pacientes e compreensivos. E comparados com seus próprios pais, eles se veem como menos rigorosos, temidos, distantes e focados no trabalho. Eles se orgulham de ser mais envolvidos e emocionalmente mais conectados com seus filhos.

Estas descobertas são de um estudo que acaba de ser lançado pela Nickelodeon da Austrália, “Wait Until Your Father Gets Home,” (“Espere Até Seu Pai Chegar Em Casa”), que investiga o papel dos pais nas famílias australianas. No passado, o título do projeto era percebido como uma ameaça para as crianças. Hoje, esses momentos com o pai são uma recompensa.

As qualidades mais suaves que os pais australianos enfatizam estão mudando as regras da paternidade de antigamente. Quando perguntados sobre quais atributos um bom pai deve ter, eles responderam ser atenciosos, envolvidos, compreensivos, empáticos, disponíveis, ser um bom ouvinte e confiável. A maioria vê seus papéis como protetor (88%), mentor (85%) e professor (81%).

O estudo descobriu que 69% dos pais dizem que cuidar dos filhos é dividido igualmente. Para muitos, é uma luta equilibrar os papéis de cuidador e provedor. As mães e a sociedade em geral esperam que os pais ponham a família em primeiro lugar e dividam as responsabilidades em casa. Ao mesmo tempo, o local de trabalho espera que os pais coloquem suas carreiras em primeiro lugar ao exigir mais horas de trabalho e que estejam disponíveis durante o tempo todo. Quase a metade (45%) dos pais disseram que se sentem sobrecarregados com a quantidade de coisas que eles têm que fazer.

A forma como os pais são retratados na mídia foi outro tema investigado neste projeto. A maioria dos entrevistados concordou que os profissionais de marketing e os criadores de conteúdo deveriam demonstrar um envolvimento maior dos pais na criação dos filhos, e reconhecer que eles estão envolvidos em todos os aspectos das tomadas de decisões sobre seus filhos.

Mais de 4 em cada 10 (42%) dos entrevistados concordam que a mídia retrata os pais como estúpidos ou sem noção, e 56% dizem que os profissionais de marketing e criadores de conteúdo precisam evoluir para descrever com precisão o seu envolvimento nas tarefas domésticas e no cuidado com os filhos. Metade concorda que a mídia deveria mostrar os pais como sensíveis e cuidadosos ao retratá-los interagindo com seus filhos, desfrutando uma variedade de atividades com eles, e refletindo o fato de que os filhos precisam deles tanto quanto de suas mães.

O retrato estereotipado do pai australiano bebendo cerveja e fazendo churrasco deveria ser uma relíquia do passado. Para melhor retratar o pai australiano de hoje, os profissionais de marketing e os criadores de conteúdo deveriam mostrar os pais brincando com seus filhos, sendo um herói para eles e se sentindo orgulhosos pelo seu progresso. Eles deveriam mostrar como a paternidade lhes dá permissão para se reconectar com sua própria criança interior.

Dito de outra forma, a famosa declaração de Paul Hogan “coloque um camarão na grelha” (“Put a shrimp on the barbie”), deveria evoluir para “brincar com Barbies”, para realmente refletir os pais australianos de hoje.