Os jovens tiveram um papel importante ao moldar e influenciar a história politicamente carregada da África do Sul, desde as revoltas de 1976 em Soweto até os protestos #FeesMustFall (#AsTaxasDevemCair) de 2015. Como é a vida para os adolescentes de hoje em dia na África do Sul?

O projeto de pesquisa global da Viacom sobre a juventude, My Teen Life (Minha Vida Adolescente), entrevistou adolescentes (de idades entre 12 e 17 anos) em 32 países, incluindo a África do Sul, para entender como eles estão lidando com a vida na Era Digital. Aqui estão algumas das principais descobertas sobre os adolescentes deste país:

Os adolescentes sul-africanos enfrentam uma gama de pressões, tanto antigas quanto modernas. Entre os adolescentes sul-africanos, 68% admite que eles se preocupam com sua aparência e 66% se preocupam em ser excluídos por seus companheiros. A proliferação das plataformas digitais trouxe novas formas de estresse. Os adolescentes sul-africanos disseram que usam plataformas digitais 55 vezes ao dia, o que demonstra não apenas quanto as redes sociais estão integradas nas suas vidas, mas também a forte pressão que elas exercem sobre eles. Além disso, 68% dos adolescentes sul-africanos (contra 61% dos adolescentes globais) declararam que se sentem pressionados a responder uma mensagem em até 30 minutos.

Os adolescentes na África do Sul declararam uma alta porcentagem de bullying na vida real com 54%, mais alto do que a média global de 42%. Quase 1 a cada 5 (17%) disse que já sofreu bullying online. Com a alta propensão das pressões sociais online, pode ser bem mais difícil para os adolescentes fugir do assédio.

Eles acreditam no poder da internet e desconfiam das instituições públicas. Os adolescentes da África do Sul passam longas horas online. Nós acreditamos que esta conexão constante influencia o fato de que 92% se autodescrevem como curiosos sobre o mundo, e 84% se autodescrevem como alguém que “compartilha e se conecta com os outros.”

Os adolescentes da África do Sul têm muito mais propensão a compartilhar algo engraçado online assim que se deparam com este conteúdo – 83% versus a média global de 73%. Esta tendência poderia ser uma indicação de uma espécie de terapia de escape através do riso, decorrente de viver num clima político tenso e incerto.

Quase dois-terços dos adolescentes sul-africanos (65%) disseram acreditar que a internet é mais poderosa do que qualquer governo. Uma recente pesquisa eleitoral da MTV Base descobriu que 64% dos jovens na África do Sul descreve os políticos como sendo “corruptos”, reforçando esta ideia.

Os adolescentes da África do Sul são empreendedores, empáticos e aceitam correr riscos. A maioria se autodescreve como “empreendedores” com 85%, comparado com uma média global de 67%. Isso pode ser parcialmente devido ao fato de que a atual taxa de desemprego entre os jovens (de idades entre 15 e 24 anos) na África do Sul é de 55.2%, de acordo com STATS SA 2019 Q1.

Os adolescentes sul-africanos também são mais preocupados do que seus pares globais sobre viver seu potencial, com 74% versus 61% internacionalmente. Eles acreditam em tentar e cometer erros em vez de nem tentar, com 93% vendo isso como uma coisa boa.