Após o final da crise financeira de 2008, os jovens norte-americanos têm lutado para alcançar as gerações anteriores financeiramente. Comparados com os Baby Boomers no mesmo estágio de vida, os adultos emergentes de hoje estão ganhando menos, possuem menos bens, e têm menos probabilidade de possuir uma casa própria. Como isso afetou sua atitude em relação à economia e aos seus gastos?

O novo estudo da Viacom, “The Economy of Now” (A Economia de Hoje), oferece uma ampla visão sobre a atual cultura financeira de americanos de idades entre 18 e 30 anos através de uma pesquisa representativa nacional, entrevistas individuais com jovens e especialistas em serviços financeiros, e métodos quantitativos como depoimentos individuais em vídeo, registros de vida e diários. Aqui estão algumas das principais descobertas:

A segurança financeira é importante, mas não é uma prioridade máxima. Apenas 44% dos jovens adultos americanos classificam segurança financeira como algo importante ao fazer escolhas de vida. Eles dão mais importância a compartilhar suas experiências, sua liberdade pessoal e sua auto-realização.

Eles foram criados para acreditar que tudo vai dar certo. Como uma herança dos seus pais Baby Boomers, os jovens adultos são otimistas e esperam que a abundância chegue até eles a longo prazo. Eles acreditam que merecem o melhor, que seu trabalho deve estar de acordo com suas paixões, que o sucesso chegará e que todos sairão ganhando.

Eles têm uma atitude “você só vive uma vez” em relação a gastar dinheiro e têm “uma vida de rico” através de luxos acessíveis. “Você só vive uma vez” é um lema importante para esta geração. Estes adultos emergentes esperam viver como ricos ao comprar artigos que são “de luxo”, porém acessíveis, fáceis de obter, e que os fazem “se sentir ricos”.

Muitos se veem pegos num ciclo de gastos, esperando economizar mais tarde. Muitos jovens adultos nos Estados Unidos acreditam que, eventualmente, farão dinheiro suficiente. Eles podem economizar quando sua renda alcançar seu estilo de vida. O pensamento é que se eles trabalharem duro o suficiente, eles podem se permitir indulgências porque “você só vive uma vez!”

Eles usam principalmente uma abordagem digital em relação aos serviços bancários e aos gastos. Os celulares parecem mais seguros do que as carteiras para os adultos emergentes nos Estados Unidos, com 95% acreditando que todos os bancos deveriam ter aplicativos para celulares. Mas isso também significa que gastar é mais simples – às vezes, talvez simples demais.

As compras devem ser feitas sem esforço, para que eles possam voltar a “viver como ricos”. Os adultos emergentes querem “comprar primeiro e decidir depois”, pagando para receber os produtos e depois decidindo se querem ficar com ele. Devolver os produtos é importante. Praticamente todos os entrevistados (92%) disseram que comprariam novamente algo se pudessem devolver facilmente e 79% querem que o frete gratuito para devolução seja o padrão.