Como é a vida das crianças na China de hoje – e como elas se comparam com seus pares globais?

Um estudo recente abrangendo quase 6.000 crianças de idades entre 6 e 11 anos e seus pais em 31 países nos deu a oportunidade de entender melhor as crianças chinesas num contexto global. Aqui estão algumas das principais descobertas deste estudo:

Eles são menos propensos a ter irmãos e têm uma maior probabilidade de ter pais que os consideram seus melhores amigos. Devido à política chinesa para ter filhos únicos, que o país recentemente começou a eliminar, apenas 22% das crianças chinesas de idades entre 6 e 11 anos têm irmãos – muito abaixo da média global de 64%. Os pais chineses são bem próximos dos seus filhos e consideravelmente mais propensos do que seus pares globais a ver seus filhos como seus melhores amigos (87% dos pais chineses de crianças entre 6 e 11 anos versus 74% dos pais globais). E na China, os pais participam. Mais de 9 em cada 10 casais esperam que os pais participem tanto na educação dos filhos quanto as mães.

As maiores fontes de inspiração das crianças chinesas são seus pais, professores e amigos próximos. As crianças chinesas de 6 a 8 anos de idade admiram seus professores (83%) tanto quanto seus pais (85% pais, 83% mães), seguido de seus avós (62%) e melhores amigos (43%). Para as crianças de idades entre 9 e 11 anos, os pais ainda estão em primeiro lugar (77% pais, 74% mães) mas eles também contam com seus melhores amigos (64%) mais do que professores (58%).

Elas têm dinheiro e gastam com cuidado. Quando precisam, elas negociam com a Mãe e o Pai. As crianças na China são mais propensas a ter seu próprio dinheiro (85% China, 75% global), e a usar descontos (72% China, 62% global). Quando há algo que elas realmente querem, elas são 34% mais propensas do que as crianças globais a fazer uma apresentação, um vídeo, uma foto, um desenho, ou um relatório para pedir.

Como as crianças em qualquer parte, elas têm uma “mentalidade de criador” quando o tema é tecnologia. Na China e no mundo, 9 em cada 10 crianças disseram que desenvolvem novas habilidades no seu tempo livre e 3 em cada 4 acham que a codificação é legal. Entre as crianças de 6 a 11 anos, 57% disseram que já tiveram aula de tecnologia na escola. A habilidade mais comum que elas aprenderam na escola foi a edição de fotos (45%), seguido de Excel (28%) e Power Point (25%).

Elas estão menos ansiosas sobre o bem-estar dos seus pais, dinheiro e bullying. Comparadas com seus pares globais, as crianças chinesas são 36% menos propensas a se preocupar com a saúde e a segurança e 32% menos propensas a se preocupar com seus pais perderem o emprego. Elas também são 19% menos propensas a se preocupar sobre não ter dinheiro suficiente. Elas estão igualmente menos preocupadas com interações sociais negativas – 30% menos propensas a se preocupar em sofrer bullying e 27% menos propensas a se preocupar sobre ser abandonadas por seus colegas. Mas, como as crianças ao redor do mundo, suas maiores preocupações são lição-de-casa, viver o seu potencial, e a manutenção do acesso à internet.

Socialmente, elas têm mais amigos na vida real e valorizam principalmente a inteligência e a inclusão. As crianças chinesas têm em média o dobro de melhores amigos do que seus pares globais (10 na China versus 5 no mundo). No entanto, o contrário é verdadeiro nas redes sociais, onde as crianças chinesas têm em média menos seguidores (161 na China, versus 263 global). Quando se trata de se encaixar na escola, ser inteligente é mais importante (45% China, 34% global) do que ser engraçado (30% China, 47% global). Mas todos são bem-vindos no seu mundo, com 89% se autodescrevendo como tolerantes (versus 79% global).